11 setembro 2017

Peças em acrílico Ravenous

Maxi Colar Bat Ravenous - encontre aqui.
Oi! Os acessórios em acrílico tão comuns nos anos 80 estão voltando com tudo de uns tempos pra cá, e eu não poderia estar menos apaixonada com a variedade disposta no mercado voltada ao público alternativo. E é justamente em razão do meu amor pelas peças que trago essa postagem com uma imensa animação, sobre nada mais nada menos que a loja Ravenous - como puderam perceber no título. Foi só felicidade após o contato com a Estefani - owner da marca, e faz alguns dias que recebi aqui em casa alguns produtos enviados pela mesma. É muito gratificante ver marcas que admiro reconhecendo de maneira positiva meu trabalho, e a Ravenous foi mais uma delas. Já havia feito uma aquisição com eles faz um tempinho, e sou apaixonada pelo cuidado e agilidade que se mostram ter para com os clientes. 

SOBRE A RAVENOUS


"A loja Ravenous é uma marca de acessórios alternativos, criada em 2015 com o intuito de oferecer produtos diferenciados e ousados! Todos os acessórios são confeccionados de modo artesanal, desde a criação da arte até ao manuseio e produção. Nossos produtos são exclusivos em sua maioria, tendo inspirações internacionais e no universo underground e alternativo." (imagem ao lado com as peças recebidas ainda embaladas)


A marca como já foi citado é especializada na confecção de peças em acrílico, produzindo também peças em fundição, como metal, alumínio, liga de zinco e zamac. Sem mais delongas, vamos as fotos das peças recebidas e ao cupom disponibilizado para os leitores.

08 setembro 2017

Complexo de superioridade e Síndrome do terno preto


Oi! Hoje a postagem está destinada apenas à externar um pouco sobre um assunto que anda entalado faz um tempo. Falo de certa relutância que partilho em relação à exigência pelo termo "doutor", pois ele sempre me espelhou um egocentrismo e uma busca por status que se mostra tão grande quanto vazia. 


E tudo começou há mais de 180 anos atrás, em um decreto assinado por Dom Pedro I, ao instituir os primeiros cursos de ciências Jurídicas e Sociais. A lei prescrevia que qualquer indivíduo que frequentasse 5 anos de qualquer curso no ramo (com a provação) teriam o grau chamado "doutor", isso se atribuía também ao Bacharelado e a lei de fato os asseguravam o direito

Mas cá entre nós, se as leis mudaram, por que o costume prevalece? 

05 setembro 2017

Recebidos: Ateliê Leviathan

Imagem ilustrativa com algumas peças produzidas e disponibilizadas à venda pela marca que aqui será citada.

Oi! Hoje venho apresentar com o maior prazer uma nova parceira: o Ateliê Leviathan. Para quem não conhece (acho difícil), a empresa foi fundada em 2008, e desde então conta com as mais diversas confecções de acessórios voltados ao público alternativo, tenho como temática a cultura Gótica, Vintage, Tribal, dentre outras. Fiquei imensamente feliz com essa oportunidade, pois me apaixonei desde a primeira vez que vi os acessórios da loja, e é ótimo poder colaborar com marcas que tanto admiro. Agradeço em especial a querida Shaiene Nasser, que teve um cuidado imenso tanto na escolha dos produtos a serem confeccionados, quanto no envio dos mesmos. E digam vocês, com esse carinho todo tem como não morrer de amores?


A caixinha além de linda, é deliciosamente perfumada (com direito até a cartinha hahah). Nota-se de cara o cuidado tido por eles. Me selecionaram 3 lindas gargantilhas, e gostaria de não só mostrar, mas falar um pouquinho sobre cada uma delas para vocês. Vamos lá?

03 setembro 2017

1940: A moda e a guerra - Parte I

Acho que vocês já bem sabem da minha admiração pelos anos 40. Época em que o papel da mulher na sociedade seguia seu caminho para fortes mudanças, e o fetichismo se encontrava em seu auge nas mãos de Jonh Willie. Sem falar do terror, que crescia anos pós ano desde a década anterior, quando os filmes voltados a temática começaram a ganhar espaço tomando histórias europeias sobre a insana aristocracia, lendas vampirescas, cientistas loucos, etc como suas principais figuras. Tendo como personagens marcantes o Drácula de Bram Stoker e Frankstein de Boris Karloff. 


Ainda com tudo, não podemos esquecer o quão marcado o século ficou pela guerra. Resultado? Ocupação feminina cada vez mais presente nos empregos tradicionalmente masculinos, por conta da escassez de mão de obra provinda do fato de que os homens se encontravam em meio à guerra.

Os recursos se tornavam cada vez mais restritos, principalmente no que tangia o mundo da moda. O que não o impediu de sobreviver mesmo em meio a toda instabilidade. 

Regras de racionamento limitavam a quantidade de tecido que poderiam ser usadas na compra e fabricação de peças de roupas. Estimulando direta ou indiretamente maior racionamento e improviso. Para manter a vaidade era necessário ser hábil em meio a falta de recursos. A silhueta marcada pelo fim dos anos 30 continuou a se pendurar por mais bons 5 anos (aproximadamente, 1945, quando os conflitos finalmente terminaram), demarcando a época com ombos sérios e sapatos pesados. Leia-se: ombreiras, silhueta bem demarcada, saias retas, conjuntos de blazer/saia evasê se faziam presentes. E não para por aí..

31 agosto 2017

Bettie Bangs


Oi, hoje trago algumas dicas voltadas ao famoso corte nomeado em homenagem à aquela que lhe tornou um ícone - Bettie Page (sim falo das Bettie Bangs). A franja popularizadíssima nos anos 50, continua inspirando mulheres até os dias de hoje. Uma curiosidade ao seu respeito, foi que o estilo de corte foi orientado à Bettie, por conta da mesma possuir uma testa comprida que brilhava muito nas fotografias. E não é que acabou se tornando sua característica mais marcante!?

Seu diferencial é o corte arredondado em "U". E apesar de fácil de se cortar, devo admitir que ela gera um tanto de trabalho sim para manter, a seguir separei algumas dicas tanto para o corte quanto para mantê-la no lugar. Confira continuando a leitura.

22 agosto 2017

Dubi Store: Recebido e Lookbook

"Alternative clothing for weird people."

Oi gente! É com muito prazer que venho falar sobre mais uma loja alternativa que recentemente fechamos parceria: a Dubi Store, que tem como inspiração nada mais, nada menos que o universo do horror. E..bem, uma breve observação aqui no blog já revela meu amor por tudo que tange o gênero, então eu não poderia ter me identificado mais com a lojinha.

Praticamente 90% das minhas compras são feitas online, justamente pela variedade disponibilizada pelas mais diversas marcas, portanto eu adoro trazer esse tipo de postagem para que vocês as conheçam e babem junto comigo (além de achar importante o reconhecimento e colaboração para com os pequenos empreendedores).

Sem delongas, a peça que recebi deles foi um vestido longo confeccionado em tecido viscose leve e repleto de morceguinhos bordados. Eu fico perplexa pela qualidade da peça e delicadeza dos bordados. E só tenho uma coisa a dizer: Só a Dubi para me fazer cair de amores por uma peça de roupa na cor branca. Primeira aquisição na cor em anos e pasmem, minha vontade é de não tirar nunca mais. hahahah Continue a leitura para conferir a peça.

12 agosto 2017

4 bandas de Rockabilly que você precisa conhecer

Carpe Noctem
Ei, gente! Primeiro eu gostaria de falar brevemente sobre o nosso banner novo, para quem tiver interesse em dar uma olhada no trabalho do artista e seguir mais alguns dos seus trabalhos basta acompanhar no: instagram.com/EdArt86
Vamos apoiar os artistas alternativos brasileiros!

Bom, hoje separei algumas bandas de Rockabilly para trazer para vocês. Quem curte o estilo ou alguma das tantas variações do mesmo certamente vai saber do estou falando, mas quem não conhece não pode sair daqui sem antes conhecê-las. Vamos lá?
1. The Cramps

E é impossível começar essa postagem sem o clássico. Sim, falo de The Cramps, os primeiros a popularizarem o termo Gothabilly para descrever a mistura de elementos do gótico com influências do rockabilly.

Resultado de imagem para the cramps

Embora o termo seja frequentemente atribuído aos mesmos, o estilo musical de The Cramps está mais próximo em fórmula ao som do Surf Rock ou Surf Music da década de 1960 combinado com o tradicional formato do "12 bar blues", de 1950.
* 12 Bar Blues é uma sequência de acordes que se repetem a cada 12 compassos (exemplo).


A associação da banda ao Gothabilly se da (em minha visão) justamente pelo uso constante de referencias fetichistas e maquiagem extravagante. Sua importância para cena é inegável portanto não poderia ficar fora desse top 3.



2. HillBilly Mon Explosion

A banda suiça HillBilly Mon Explosion é conhecida por misturar elementos do country, Jump Blues, Surf Music dentre outros. No álbum "Buy, Beg or Steal", na música My Love for Evermore, a Hutter (vocalista) cantou um dueto com Mark "Sparky" Phillips da banda Demented Are Go. Que é simplesmente uma de minhas músicas preferidas da banda e também das mais ouvidas no momento.


03 agosto 2017

Lilith Ateliê: for all the horror ladys

Essa postagem vai em especial para todos os morcegos que nos acompanham. Como alguém que possui uma pequena quedinha pelo universo retrô e pelo horror, eu sou suspeita para falar sobre assuntos que tangem o tema. Portanto, vou deixar que tirem as vossas próprias conclusões sobre o que lhes trarei a seguir.

Pois bem, desde que me deparei com o trabalho de uma moça talentosíssima chamada Carolina nos arredores do instagram, não consigo mais pensar no gênero retrô e não me lembrar do Lilith Ateliê, que faz nada mais, nada menos, que unir o útil ao agradável. E eu, como a louca das lingeries, não poderia não ter ficado apaixonada a primeira vista pelas suas peças.

Além de detalhados e delicados os modelos são cuidadosamente confeccionados a mão, pensados e inspirados nos nossos maiores ícones do horror, trazendo peças de apaixonar qualquer um. É bem aqui que entra a novidade que eu mal via a hora de trazer para vocês..